quarta-feira, 10 de abril de 2013

Entrevista com a banda TEVADOM

TEVADOM surgiu no ano de 2005 com Roberta Tesch, Ariane Domingos e Priscilla Valim. Fizeram alguns shows na cidade do Rio de Janeiro até o ano de 2009 e após problemas pessoais, a banda parou por quase dois anos. Em 2011, TEVADOM voltou com força total e com algumas modificações na formação. Hoje a banda conta com Ariane Domingos (guitarra), Cynthia Tsai (bateria), Flora Leal (baixo) e Roberta Tesch (Vocal/Guitarra). Assim inicio essa 'conversa' com a banda carioca thrash metal TEVADOM.

1- Conte nos primeiramente sobre a motivação de criar a banda e seu direcionamento musical.
Roberta: Bem...eu nasci com a música, minha mãe é musicista, minha família é muito musical e eu cresci dentro de estúdios de gravação brincando com as espumas das paredes, rs. Como minha mãe tinha um violão acabei me interessando por instrumentos de corda. Foi na escola que surgiu a ideia de montar uma banda. No início eu não tinha muito quem me apresentasse o metal mas foi quando eu ouvi a Avril Lavigne fazendo um cover do Metallica e eu:"Cara, essa música é MUITO maneira". Daí começamos a fazer cover só de Metallica e depois fomos puxando outras bandas de thrash.

2- Estão agora numa cena metálica nacional onde os espaços para os eventos estão surgindo novamente, apesar das dificuldades ainda existente. Como tem sido para vocês os shows e a resposta do público?
Roberta: Os convites para tocar estão aumentando cada vez mais pra TEVADOM e o público está nos recebendo muito bem. No final de março tivemos o prazer de tocar no Festival de Rock Humanitário em Cabo Frio que contou com um público de 4 mil pessoas e a resposta da galera foi incrível. 

3- As redes sociais facilitam hoje a divulgação das bandas de maneira mais ampla e rápida. De que forma procuram utilizar isso, devido até mesmo as correrias diárias de cada integrante?
Roberta: A Flora (baixista) atua mais nessa área de assessoria da banda, divulgação, feedback com os fãs, atualizações, ela fica mais a frente. As redes sociais tornaram-se o melhor e maior meio de divulgação para qualquer área, mas na música isso tem um peso muito maior.

4- Tendo algum tempo de estrada e atualmente com uma formação incrível, quais são os planos para um registro da banda?
Roberta: Fizemos uma gravação de 2 músicas e 1 intro em outubro do ano passado, mas com as mudanças que tivemos, resolvemos segurar essa demo. Estamos pensando se vamos lançar ou não, mas o que posso afirmar é que a partir de agosto a gente começa a gravar uma demo ou um EP, ainda vamos decidir.

5- Como vocês analisam a atual cena do metal e que bandas gostam, que bandas as influênciam no trabalho de vocês?
Roberta: A cena está voltando a melhorar, lentamente mas está. As bandas que influenciam a TEVADOM, principalmente a mim, são: Testament, Sepultura, Megadeth, Slayer, Pantera, Metallica, que é uma influência muito forte pra todas nós, e individualmente como guitarrista, X-Japan pois admiro muito a linha de guitarra deles.

6- Certamente apesar das correrias, demonstram serem bem amigas, terem a química para estarem juntas fluindo naturalmente grandes idéias para os novos projetos. O que de material próprio a banda já tem, como se dá o processo de criação?
Roberta: Gravado temos a The Song of Darety que estamos pensando em lançar ou não, a Freedom e a nossa Intro, mas o processo de criação não segue uma regra. Surge um riff de uma de nós e então as outras vão acrescentando e moldando. Fica uma criação bem natural, tem que ficar agradável pra todas nós.

7- Tive a oportunidade de conferir a banda ao vivo e foi claro que banda e público estavam falando a mesma língua. Fora dos palcos, tive a chance de perceber o quanto estão curtindo o que fazem, estão atentas aos caminhos a serem tomados. Um outro ponto muito importante é o fato de sempre estarem na platéia apoiando outra banda quando não são vocês no palco. O que vocês acham do público atual e das próprias bandas nacionais, quais destacariam?
Roberta: Existem públicos e públicos né, isso varia muito de lugar para lugar. Mas até agora não temos o que reclamar, o público se envolve nos nossos shows e é isso que nos dá gás de continuar nessa correria doida. Ainda que haja um show não tão cheio, o público presente é sempre incrível.  No Brasil existe muita banda de qualidade, principalmente no underground, no Rio de Janeiro temos o Prophecy que tem mais de 20 anos e estão aí fazendo um thrash metal que dispensa comentários. O Priest of death é uma banda que os produtores deveriam dar mais atenção também, e temos também o Left Hand, Warfx, Severe Desgrace e é claro, nossas amigas da Melyra, Scatha, Mortarium, Sinaya e Nervosa. Essas bandas estão mostrando o tão competentes e fodas são. Com uma qualidade musical incrível.

8- Terminamos então por aqui com um espaço aberto a mensagem para aqueles que acompanham a Quality Music e também ao trabalho da Tevadom.
Obrigada pela oportunidade de falar sobre nosso trabalho, é graças a esse espaço que as pessoas podem ter melhor acesso as bandas e em breve vocês poderão conferir o nosso trabalho na Quality Music. Quem quiser conhecer mais da TEVADOM, é só curtir nossa page no facebook. Valeeeeu!! \m/

Facebook:

Tevadom

Tevadom

4 comentários:

  1. Legal! As meninas tocam muito e tem conteúdo!

    ResponderExcluir
  2. adoro essa banda são meninas incriveis.

    ResponderExcluir
  3. Uma banda que curti o som, o 'ao vivo' e como pessoas!! A Quality Music está no apoio \,,/

    ResponderExcluir